Criações feitas com linha, cor e alegria, música, alguma magia e muito amor...

27.3.09

Bonequinha Cely + Dia da mulher cabo-verdiana

Ontem à noite, terminei esta bonequinha que é na verdade um chaveiro. Vou oferecê-lo a uma amiga muito querida que, logo à noite, actuará na gala comemorativa do dia da mulher cabo-verdiana. À propósito, parabéns à todas as mulheres cabo-verdianas por este mundo fora. Os meus parabéns são extensivos à todas as mulheres do mundo visto considerar que "ser mulher" é algo que ultrapassa fronteiras, nacionalidades, crenças e/ou religiões. A bonequinha tem um vestido feito de pano africano. O vestido tem mangas raglan e um folho largo como saia. Para alegrá-lo fiz barradinhos nas mangas e na bainha com linha numa das cores do desenho do vestido.
Olhinhos meigos, lábios em laranja vivo e um colar onde misturei continhas brancas e pretas com 3 sibitchis (essas bolinhas pretas com pintas brancas). Os sibitchis são originários da costa ocidental africana e atribui-se-lhes o poder de "afastar maus olhados"
Na cabeça, um lenço dourado amarrado com um entrelaçado feito com uma tira do tecido do vestido e outra crochetada com a linha usada no vestido, misturada com linha preta. Ficou completo com a rosa dourada. Baptizei a bonequinha de Cely :)

Esta é a minha amiga Celina Pereira
Ela fala da tradição, da cultura, da música dos hábitos da terra que lhe viu nascer: Cabo Verde. Em Portugal onde reside há 34 anos, recria as tradições antigas da sua terra, reinventando histórias para adultos e crianças.

Paralelamente ao seu trabalho em palco e estúdio, Celina Pereira alinha, desde há alguns anos, com a filosofia do pedagogo e violinista Yehudi Menuhin, que propunha combater a agressividade nas crianças através das artes. Assim, percorre escolas em Portugal - em particular aquelas em que as diferentes origens dos alunos tendem a gerar conflitos - contando histórias tradicionais e ensinando cantigas como forma de levar as crianças a conviver bem com as diferenças culturais.
"Estória, estória - Do tambor à Blimundo" é um áudio-livro que pretende recuperar o património expressivo das histórias e jogos de roda tradicionais africanos. O livro, ilustrado com os apelativos desenhos contém textos da autoria de Celina Pereira bem como a adaptação de dois contos de África, dos quais um é de Cabo Verde. O CD complementa o livro numa "versão falada" dos jogos e cantigas de roda, que entrelaçam as várias culturas. As cantigas, cantadas por crianças, abrem a passagem à leitura dos contos e textos. Não posso deixar de referir que minha filhota e meu filho mais novo participaram alegremente nesse trabalho.
Parabéns Celina, continua assim a bem da nossa cultura e das nossas crianças.
(Os textos relativos à celina Pereira foram extraídos de blog http://celinapereira.blogspot.com)

6 comentários:

Cristina disse...

Linda bonequinha,Ficou bem caracterizada. Bjus

Jackelyne disse...

Tania, fiz o porta pen drive, mas coloquei em um chaveiro, olha lá, veja se aprova...hihihi

Beijos e obrigada pela idéia.

Amílcar Tavares disse...

Muito bonita a boneca!!

Feliz dia da Mulher!

Dani Bender disse...

Oi Tania, estava passeando pelo teu blog e fiquei imensamente encantada com tanta criação.Vc é realmente muito criativa e seus trabalhos são perfeitos.Parabéns.
Abraço
Dani

Natty disse...

Ficou mt fofa a bonequinha. Eu cruzo-me com a Celina variadas vezes aqui em Lisboa em concertos e espectáculos.
No outro dia supreendi-me quando falei com o meu namorado (q é CV) sobre kapulanas e ele não sabia o q eram... Mas pelos vistos esses penos nao se utilizam muito em CV...

Parabens! tas com trabalhos lindos!
beijo
Natty

CORTEYGRIF disse...

Tania
muito obg por partilhares estes bocados de historia,que alegria!!
Amo os tecidos africanos,um dia quero fazer uma colecçao de malas com belos motivos africanos.
Ficou um encanto a bonequinha.
Espero que tenhas pasado este dia em harmonia
besitos
ROSA

Crochet Along 2014

Crochet Along 2014
Ik haak mee / Estou a participar...